quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

REFLEXÕES NATALINAS


REFLEXÕES NATALINAS
Thelma Regina Siqueira Linhares

Apressadamente
mídia e comércio desfilam novidades natalinas
de encher os olhos dos consumidores ávidos
e os cofres da cadeia produtiva.
Quem dera
houvesse a mesma disposição
para vivenciar mensagens cristãs
e práticas de humanidades e cidadania
não só no período do Natal
mas em todos os dias de cada ano.

http://www.poesias.omelhordaweb.com.br/pagina_autor.php?cdEscritor=804

Participe do site. Compartilhe seus textos, suas mensagens.

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Movimento por um Brasil Literário - Mensagem de Bartolomeu Campos de Queirós


Bartolomeu:
Foi com alegria que recebi sua mensagem! Achei importante socializá-la nos blogs
http://lereescreveremrede.blogspot.com e http://construindopasargada.blogspot.com
para que outros e outras tenham a oportunidade de conhecer, aderir, divulgar o Movimento por um Brasil Literário.
Sim, comungo com você, a convicção de que "O Brasil Literário pode, em princípio, parecer uma utopia mas por que não buscar realizá-la?" Sim, acredito, na realização já iniciada!
Muita paz! Thelma Regina



Belo Horizonte, 16 de dezembro de 2009

Thelma,

Hoje, me vi pensando como seria viver em um país de leitores literários. Pode ser apenas um sonho, mas estaríamos em um lugar em que a tolerância seria melhor exercida. Praticar a tolerância é abrigar, com respeito, as divergências, atitude só viável quando estamos em liberdade. Desconfio que, com tolerância, conviver com as diferenças torna-se em encantamento. A escrita literária se configura quando o escritor rompe com o cotidiano da linguagem e deixa vir à tona toda sua diferença – e sem preconceitos. São antigas as questões que nos afligem: é o medo da morte, do abandono, da perda, do desencontro, da solidão, desejo de amar e ser amado. E, nas pausas estabelecidas entre essas nossas faltas, carregamos grande vocação para a felicidade. O texto literário não nasce desacompanhado destes incômodos que suportamos vida afora. Mas temos o desejo de tratá-los com a elegância que a dignidade da consciência nos confere.

A leitura literária, a mim me parece, promove em nós um desejo delicado de ver democratizada a razão. Passamos a escutar e compreender que o singular de cada um – homens e mulheres – é que determina sua forma de relação. Todo sujeito guarda bem dentro de si um outro mundo possível. Pela leitura literária esse anseio ganha corpo. É com esse universo secreto que a palavra literária quer travar a sua conversa. O texto literário nos chega sempre vestido de novas vestes para inaugurar este diálogo, e, ainda que sobre truncadas escolhas, também com muitas aberturas para diversas reflexões. E tudo a literatura realiza, de maneira intransferível, e segundo a experiência pessoal de cada leitor. Isto se faz claro quando diante de um texto nos confidenciamos: "ele falou antes de mim", ou "ele adivinhou o que eu queria dizer".

Thelma, o texto literário não ignora a metáfora. Reconhece sua força e possibilidade de acolher as diferenças. As metáforas tanto velam o que o autor tem a dizer como revelam os leitores diante de si mesmo. Duas faces tem, pois, a palavra literária e são elas que permitem ao leitor uma escolha. No texto literário autor e leitor se somam e uma terceira obra, que jamais será editada, se manifesta. A literatura, por dar a voz ao leitor, concorre para a sua autonomia. Outorga-lhe o direito de escolher o seu próprio destino. Por ser assim, Thelma, a leitura literária cria uma relação de delicadeza entre homens e mulheres.

Uma sociedade delicada luta pela igualdade dos direitos, repudia as injustiças, despreza os privilégios, rejeita a corrupção, confirma a liberdade como um direito que nascemos com ele. Para tanto, a literatura propõe novos discernimentos, opções mais críticas, alternativas criativas e confia no nosso poder de reinvenção. Pela leitura conferimos que a criatividade é inerente a todos nós. Pela leitura literária nos descobrimos capazes também de sonhar com outras realidades. Daí, compreender, com lucidez, que a metáfora, tão recorrente nos textos literários, é também uma figura política.

Quando pensamos, Thelma, em um Brasil Literário é por reconhecer o poder da literatura e sua função sensibilizadora e alteradora. Mas é preciso tomar cuidados. Numa sociedade consumista e sedutora, muitos são leitores para consumo externo. Lêem para garantir o poder, fazem da leitura um objeto de sedução. É preciso pensar o Brasil Literário com aquele leitor capaz de abrir-se para que a palavra literária se torne encarnada e que passe primeiro pelo consumo interno para, só depois, tornar-se ação.

Thelma, o Brasil Literário pode, em princípio, parecer uma utopia, mas por que não buscar realizá-la?

Com meu abraço, sempre, Bartolomeu

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Lançamento do Livro do PROGRAMA MANUEL BANDEIRA DE FORMAÇÃO DE LEITORES

Aconteceu no Sítio da Trindade, dia 12/12/2009, durante o II Festival da Escola Aberta, que reuniu estudantes de todas as escolas municipais que vivenciam o referido programa.

No espaço Casa de Reboco, a GBFL-Gerência de Biblioteca e Formação de Leitores, realizou o lançamento festivo do livro, que faz parte da coleção Cadernos de Educação, volume 4, que registra a criação e trajetória do Programa Manuel Bandeira de Formação de Leitores.


Trecho do prefácio de Edmir Perrotti foi lido por Zé Ramos, que assinou, ainda, a adaptação da leitura dramática de fragmentos do texto de Michele Petit "Biblioteca: o jardim interior preservado", por jovens da GAC-Gerência de Animação Cultural.

Em seguida, foi realizada socialização do Projeto Conexão Biblioteca Narciso do Banjo e Pontos de Leitura do Bairro do Pina, pela Escola Municipal Novo Pina.



Compartilhando momento tão importante, um público convidado pela GBFL e pela SEEL-Secretaria de Educação, Esporte e Lazer, se fez presente.

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

CONVITE - Lançamento do Caderno do Programa Manuel Bandeira de Formação de Leitores


Repassando conteudo de e-mail para Professores/as de Biblioteca e Mediadores/as de Leitura.

Olá Boa tarde,

Estamos enviando convite para o lançamento do Caderno da Educação Municipal Vol. 4 do
Programa Manuel Bandeira de Formação de Leitores, que acontecerá conforme dados abaixo:

Local: Sítio da Trindade
Hora: 10:00 hs
Data: 12/12/2009.

PS: Informamos ainda que o lançamento do livro faz parte da programção do II Festival de Cultura
da Escola Aberta que acontece conforme convite anexo.

Contamos com a presença de todos.
Atenciosamente,
Equipe GBFL

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

BLOG LITERÁRIO - Criação e Alimentação


A Oficina de Blog Literário - criação e alimentação - foi proposta pela GBFL à DGTEC para o encontro de formação continuada do grupo de Mediadores/as de Leitura, em 07/12/2009, a se realizar na Escola Municipal Cristiano Donato, RPA 1, sito à rua da Imperatriz Tereza Cristina, 182, Boa Vista. (Fone 32325905)
Buscando parceria, foi usado e-mail, logo respondido por Cleoneide Brito, que indicou Rinaldo Neres para coordenar a parceria buscada. Ele sugeriu a participação das professoras Suely e Tereza, que realizam trabalho de multiplicação e acompanhamento junto às escolas da Rede Municipal do Recife. E duas reuniões foram agendadas para a formatação do encontro: uma na GBFL (com a participação de Rinaldo, Suely e Tereza (DGTEC), Ewerson, Márcia, Marcos e Thelma (GBFL) e uma na sede da DGTEC (com a participação de Ewerson, Márcia, Marcos, Suely e Thelma). Foi criado o nome do blog http://construindopasargada.blogspot.com sugestão de Marcos D'Morais, pois os nomes propostos pelos mediadores/as de leitura no encontro anterior (30/11/2009) não estavam dispiníveis no blogger. Esse nome foi considerado muito representativo porque remete a um dos poemas mais conhecidos do poeta (Vou-me embora pra Pasárgada), reafirma o Programa Manuel Bandeira de Formação de Leitores, da GBFL-Gerência de Biblioteca e Formação de Leitores e implica numa ação contínua, de aprendizagens, como o é a própria vida.
E durante o dia de hoje, nos turnos da manhã e tarde, a Oficina de Bolg Literário está sendo vivenciada pelos/as Mediadores/as de Leitura da GBFL.

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Escola Municipal Sítio do Berardo - Presente


A Escola Municipal Sítio do Berardo, vivenciou no dia 26/11/2009 a sua Feira de Conhecimentos, culminando atividades pedagógicas desenvolvidas a partir do tema do ano letivo - Recife: cidade educadora. Estudantes do turno da manhã, felizes por apresentarem suas aprendizagens, receberam mães, pais e uma turma da Creche Vinde a Mim.


Sem identificação de turmas, registro as apresentações, a seguir:
* Museu da Abolição. Exposição "gente de Angola" e apresentação de capoeira pelo pequeno Giseldo.
* Mercado da Madalena. Maquete e apresentação da música "Mercado da Madalena", paródia da "Feira de Caruaru" por um coral da turma.
* Horto de Dois Irmãos. Livrinhos de imagens e um painel de fotos de animais.
* Exposição de Animais. Desfile com crianças caracterizadas de animais ou exibindo bichinhos de pelúcia.
* Biblioteca Popular de Afogados. Painel com desenhos da biblioteca e o que é oferecido ao usuário. Mapas de acesso da Escola até lá. Informações diversas, individual e coletiva.
Além de exposição de fotografias com o título "do monóculo ao dvd".










Na sala de aula, a turma do Ciclo 1 - Ano 1 B, da professora Solange Brandão, socializou para visitantes as aprendizagens a partir da Biblioteca Popular de Afogados. Felizes, disseram dois poemas produzidos coletivamente por Allan, Ana Júlia, Anna Catharina, Daniel, Diego, Emilly, Ester, Ingrid, José Benedito, Levi, Mirella, Mohab, Sabryna, Sthefany, Tainan e Thaynan

O tamanho das coisas

O amor tem tamanho do céu
A saudade, do jardim
A paixão, do coração.
A alegria tem tamanho do circo
Tristeza, de livro rasgado
Passeio de bicicleta tem tamanho de avenida
Bronca de mãe, de chateação
Violência tem tamanho de covardia.



A cara das coisas

Limão tem cara azeda
Brigadeiro tem cara doce
Cebola tem cara de choro
Livro tem cara de biblioteca
Feira tem cara de formigueiro
Queijo tem cara furada
Todas as coisas tem cara.




Escola Municipal Sítio do Berardo - RPA
Rua Profº Lins e Silva, 66 - Prado
Recife / PE
fone: 32327520

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Votação do Projeto de Lei em 01/12/2009


Repassando e-mail da imprensa@lucianosiqueira.com.br

Amigos e amigas,

Nesta terça-feira, dia 01 de dezembro, a Câmara Municipal do Recife vai submeter à votação em plenário o Projeto de Lei nº 123/2009, que cria a Política Municipal do Livro e de Incentivo à Cultura da Leitura. O PL 123/2009 é fruto de um grande processo de mobilização do Fórum Pernambucano em Defesa do Livro, da Leitura e das Bibliotecas e foi apresentado pelo vereador Luciano Siqueira durante audiência pública realizada em setembro passado.

É importante que todos aqueles que ajudaram a construir esse momento possam acompanhar a votação do projeto. Faça um esforço e ajude a mobilizar outras pessoas. A sessão da Câmara terá início às 15h. Contamos com a sua presença!


Vamos juntar esforços por um Recife leitor!

No endereço http://lucianosiqueira.blogspot.com/2009/12/camara-vota-pl-do-livro-e-da-leitura.html é possível detalhes sobre o dia de tramitação do Projeto de Lei n° 123/2009.

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Socializações da GBFL – Oficina de Leitura para o Programa Escola Aberta



A Oficina de Leitura foi solicitada à GBFL pelo Programa Escola Aberta, que, através do Programa Manuel Bandeira de Formação de Leitores, a formatou num módulo de 5 encontros de 4 horas, nas quintas-feiras, à tarde, no Nóbrega. As datas definidas foram: 22 e 29 de outubro; 05, 12 e 19 de novembro. Um encontro foi cancelado porque a equipe da Escola Aberta teve uma reunião extraordinária, coincidindo com o horário. Em pauta: o Festival a ser realizado em 12/12/2009. Descartou-se, de comum acordo, a reposição daquele encontro (05/11/2009).

Foi disponibilizado pela GBFL um acervo variado em literatura: cerca de 50 títulos. Desses, 30 foram lidos e socializados nos encontros. Um dos objetivos gerais da Oficina de Leitura, portanto, atingido: o compartilhamento de acervo.

Acervo disponibilizado
* O velho, a carranca e o rio, Rogério Andrade Barbosa
* A moeda de ouro que um pato engoliu, Cora Coralina
* Firirim firirim, Elizete Lisboa
* Branca, Rosinha Campos
* O que tem na panela,Jamela?, Niki Daly
* A bola e o goleiro, Jorge Amado
* Duas histórias de perna fina, Sylvia Orthof
* História de dois amores, Carlos Drummond de Andrade
* Livro de Papel, Ricardo Azevedo
* Bibi corta o cabelo, Alejandro Rosas
* Bibi vai para a sua cama , Alejandro Rosas
* Bibi vai para a escola , Alejandro Rosas
* O menino da lua, Ziraldo
* O galinheiro do Bartolomeu ,Christina Dias
* História do Poço da Panela , Elita Ferreira
* O bordado encantado, Edimir Perrotti
* O fio da meada, Roseana Murray
* Falando Banto, Eneida Gaspar
* Mania de explicação, Adriana Falcão
* Recife, cidade das pontes, dos rios, dos poetas e do carnaval, Lenice Gomes
* Pretinho, meu boneco querido, de Maria Cristina Furtado
* Aguemon, de Carolina Cunha. Martins Fontes
* Bichos da África, de Rogério Andrade Barbosa
* Zeca cata trecos, de Jótah
* A menina transparente, Elisa Lucinda
* Ururau, praga e pica-pau, Celso Sisto
* O chamado de Sosu, Meshack Asare
* Histórias trazidas por um cavalo-marinho, Edimilon de Almeida Pereira
* Utopia não, esperança sim, Zeneide Silva
* Histórias da avó, Burleigh Mutén
* Contos de enganar a morte, Ricardo Azevedo
* O Congo vem ai! Sérgio Capparelli
* Aquele gênio, o Leonardo, Guido Visconti
* Zlin, o gnomo que queria voar, Rogério Borges
* Brincando maracatu, Valéria Vicente
* Brasília e João Dimas e a Santa do Caldeirão na época da Independência, Maria José Silveira
* Declaração Universal dos Direitos Humanos, Ruth Rocha
* Do outro lado tem segredo, Ana Maria Machado
* Gilberto Gil, Mabel Veloso
* Pixinguinha, André Diniz e Juliana Lins
* As escolas do Recife descobrindo-se negras
* Um guerreiro chamado Zumbi, Zeneide Silva
* Um passeio pela África, Alberto Costa e Silva

Algumas atividades desenvolvidas:
Confecção de crachá e breve identificação pessoal

Integrando diferentes mídias
Duas (2) versões da música O mestre-sala-dos mares, de João Bosco e Aldir Blanc, nas vozes do próprio João Bosco e Elis Regina. Esse material embasou conhecimentos e discussões sobre a Revolta da Chibata (1910)- fato histórico não muito conhecido - a ditadura militar (1964) e a censura que se seguiu por décadas.
Alguns sites indicados para outras leituras:
http://www.suapesquisa.com/historiadobrasil/revolta_chibata.htm
http://www.infoescola.com/historia/revolta-da-chibata/
http://www.historiadomundo.com.br/idade-contemporanea/a-revolta-da-chibata.htm
http://www.cpdoc.fgv.br/nav_fatos_imagens/htm/fatos/golpe64.htm


Produção coletiva, a partir de verso de Solano Trindade.

Ouço um novo canto
Quem será que canta?
Será um passarinho?
Ou será alguém que quer ser passarinho?
O canto é tão bonito que de longe chama atenção
e nos causa muitas sensações!

Ouço um novo canto
logo após o por-do-sol
seria de vários pássaros coloridos?
De onde vem não interessa, o importante é que é lindo!
Imagino que vem de uma floresta.
Imagino que vem de um ser especial!


Alguns textos, selecionados previamente, embasaram reflexões e debates sobre a leitura, sua importância e a relação com temas históricos. Com certeza, enriqueceram as aprendizagens em tão breve oficina.

Apresentação do livro do Programa Manuel Bandeira de Formação de Leitores, uma política de leitura na rede municipal de ensino do Recife, vol 4, da série Cadernos da Educação Municipal, acompanhado de um breve resumo da história do Programa e suas ações.

Literatura Infantil: bobices e gostosuras, de Fanny Abramovick (Como contar histórias, Aproveitar o texto... e Contar histórias... só para quem não sabe ler?) Fragmento de um dos livros de reconhecida especialista.

Texto em prosa de Aldir Blanc, sobre a criação e trajetória da música O mestre-sala dos mares.

Antologia Rebeldes Brasileiros, da Coleção Caros Amigos, com o capítulo João Cândido, de Maira Landulpho Alves Lopes. Esse fato histórico era desconhecido pela maioria das pessoas presentes.

Brasileiro fala banto? de Marcos Bagno.

Poesia sobre o negro
Dez (10) poemas de diferentes autores/as foram disponibilizados para um recital, além d'Os filhos de Solano, Conexão 17.
NEGRAAgenor Martinho Correa
http://www.overmundo.com.br/banco/negrapoesia
HOMEM LIVRE Carlos Drummond Andrade http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/carlos-drumond/homem-livre.php
SANGUE AFRICANO Castro Alves http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/castro-alves/sangue-africano.php
ALMIRANTE NEGRO César Moura
http://www.mundojovem.pucrs.br/poema-negro-49.php
RESPEITEM MEUS CABELOS, BRANCOS Chico César
http://br.answers.yahoo.com/question/index?qid=20061111050315AAqOTUq
CRIANÇAS NEGRAS/em> Cruz e Sousa http://trapichedosoutros.blogspot.com/2009/10/criancas-negras-de-cruz-e-souza.html
IRENE NO CÉUManuel Bandeira http://www.revista.agulha.nom.br/manuelbandeira02.html
NEGRO, MORTE Raul Pompéia http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/raul-pompeia/negro-morte.php
SOU NEGRO Solano Trindade http://www.interpoetica.com/solano_trindade.htm
BAOBÁS Thelma Regina Siqueira Linhares
http://thelmaregina.blogspot.com/2009/09/descobrindo-baobas.html

Ao avaliar esse formato de Oficina de Leitura, fruto de parceria entre o Programa Manuel Bandeira de Formação de Leitores e o Programa Escola Aberta, um grande entrave foi constatado: a inadequação do dia e horário, uma vez que a disponibilidade para o Programa corresponde aos fins de semana. Observou-se o envolvimento dos/as participantes nas atividades propostas e, ainda, ficou evidente o reconhecimento e a importância de Oficinas de Leitura para a formação continuada dos atores sociais da Escola Aberta. Algumas sugestões foram propostas e serão maturadas para implementação no próximo ano letivo de 2010, como por exemplo, as malinhas de literatura do Programa Escola Aberta.

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Biblioteca Popular do Coque - I Semana Circulando Contos e Encantos


Acontecendo de 16 a 20 /11/2009, na Biblioteca Popular do Coque, a I Semana Circulando Contos e Encantos, cujo tema "Ler, educar e compartilhar", objetiva despertar o gosto pela leitura e escrita nos moradores/as do Coque.
Um agendamento prévio de escolas da comunidade está dinamizando a programação desta semana, para estudantes de diferentes esolaridades, faixas etárias e redes de ensino.
Na manhã desta quarta-feira, por exemplo, crianças da Escola Municipal Costa Porto estiveram presentes à contação de histórias por Izamar e Rafaela, do CEPOMA.
As atividades desta I Semana Circulando Contos e Encantos podem ser acompanhadas pelo blog da Biblioteca Popular do Coque, assim como outras atividades desse espaço de leitura da cidade.
http://bpcoque.wordpress.com/2009/11/17/comeca-a-semana-de-contos-da-biblioteca/

Abaixo, programação conforme e-mail enviada à GBFL-Gerência de Biblioteca e Formação de Leitores.

Segunda (16/11/09)
Oficina de contação de histórias
Contadora:
Horário: 9h às 12h

Oficina de fanzine
Anna Paula
Horário: 14h às 17h

Oficina de contação de histórias
Contadora: Belgica Soares
Horário: 14h às 17h

Terça (17/11/09)
Oficina de contação de histórias
Contadora: Fabiana e Solange
Horário: 9h às 12h

Oficina de contação de histórias
Contadora:
Horário: 14h às 17h

Quarta (18/11/09)
Oficina de contação de histórias
Contadora: Izamar e Rafaela
Horário: 9h às 12h

Oficina de contação de histórias
Contadora: Solange e Rafaela
Horário: 14h às 17h

Quinta (19/11/09)
Oficina de contação de histórias
Contadora: Fabiana
Horário: 9h às 12h

Oficina de contação de histórias
Contadora:
Horário: 14h às 17h

Sexta (20/11/09)
Oficina de contação de histórias
Contadora: Fabiana
Horário: 9h às 12h

Oficina de contação de histórias
Contadora: Erica
Horário 14h às 17h


Biblioteca Popular do Coque
Rua Centenário do Sul, 70
Ilha Joana Bezerra
CEP 50080-490
Recife - PE
fone (81) 88303642

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Biblioteca Popular de Afogados - 12° Concurso de Poesia



Transcrevo e-mail de Tereza Marainho divulgando o 12° Concurso de Poesia da Biblioteca Popular de Afogados: em busca de (novos) talentos... desengavete seus escritos... exercite sua criatividade...

Através deste, estou pedindo a sua colaboração para divulgar o 12º Concurso de Poesia da Biblioteca Popular de Afogados, evento nacional que mobiliza poetas de todos os segmentos e de todas as regiões do Brasil. Este ano queremos uma expressiva participação de poetas recifenses-pernambucanos, como também a novidade desta edição que é a inserção da categoria juvenil (15 a 18 anos). Então amigos, peço que enviem esta divulgação para todos os endereços de sua mala direta, nos seus locais de trabalho e se tiverem acesso a blogs ou paginas nesta área que encaminhem também.

Vamos mostrar os poetas de Pernambuco para o mundo e divulgar novos talentos!

Espero contar com a sua colaboração.

Um forte abraço,

Tereza Marinho
Ger. Oper. dos Centros de Pesquisa e Formação Cultural – FCCR



Edital do Concurso publicado no Diário Oficial

10/Out/2009 :: Edição 116 ::

Cadernos do Poder Executivo

Secretaria de Cultura
Secretário: Renato Braga Lins


12º Concurso de Poesia da Biblioteca Popular de Afogados

FUNDAÇÃO DE CULTURA CIDADE DO RECIFE
GERÊNCIA DE SERVIÇOS BIBLIOTECA POPULAR DE AFOGADOS

12º Concurso de Poesia da Biblioteca Popular de Afogados, ano 2009

A Biblioteca Popular de Afogados, visando estimular e valorizar a leitura e a criação literária, em geral, bem como a freqüência à Biblioteca e a otimização dos seus serviços à sociedade, em especial, realizará a 12º edição do Concurso de Poesia, evento literário, que incentiva e valoriza a produção intelectual deste gênero, de acordo com o regulamento que segue:

REGULAMENTO

Das Inscrições

Art. 1º - Poderá inscrever-se qualquer pessoa nascida no Brasil ou naturalizada brasileira, com texto em língua portuguesa, nas categorias: juvenil (15 a 18 anos) e adulto. O tema será livre.

§ único - É vedada a inscrição de funcionários da Fundação de Cultura Cidade do Recife e dos demais órgãos da administração direta e indireta da Prefeitura do Recife.

Art. 2º - As inscrições serão gratuitas e estarão abertas no período de 15 de Outubro a 04 de dezembro de 2009, no horário das 9 às 17 horas, na Biblioteca Popular de Afogados, R. Jacira, s/n - Afogados - CEP 50.770-230. Fones (81) 3232 2484 / 3232 2430.

§ Único - Para os trabalhos enviados pelos correios, vale a data de postagem, que não pode ultrapassar a data estabelecida neste artigo (04 de dezembro de 2009).

Art.3º - Cada concorrente poderá inscrever até 06 (seis) poemas inéditos, não podendo, cada poema, exceder o limite de 03 (três) laudas.

§ Único - Os poemas devem ser digitados em fonte Arial 12, em 03 (três) vias ou em CD, apresentados sob pseudônimo, em envelope grande, com indicativo da categoria a concorrer, dentro do qual deve ser anexado envelope menor, lacrado, contendo folha de identificação com nome, endereço residencial completo, telefone e e-mail, pseudônimo, título(s) do(s) trabalho(s), e currículo resumido.

Da Premiação

Art. 4º - O Concurso de Poesia da Biblioteca Popular de Afogados, denominado Coletânea Maria do Carmo Barreto Campello, Ano 2009, homenageia um poeta pernambucano com obras publicadas e será destinado às categorias constantes no Art. 1º deste regulamento.

Art. 5º - Serão selecionados os 50 (cinqüenta) melhores poemas que comporão a Coletânea Maria do Carmo Barreto Campello, com edição de 2000 (dois mil) exemplares em brochura, cabendo a cada autor uma cota de 30 (trinta) exemplares.

Art. 6º - O resultado do 12º Concurso de Poesia da Biblioteca Popular de Afogados será divulgado no dia 29 de janeiro de 2010 e a cerimônia de premiação ocorrerá no dia 26 de abril de 2010, na própria biblioteca.
Da Comissão Julgadora

Art. 7º - A Comissão Julgadora, composta de 03 (três) membros, será escolhida pela Fundação de Cultura Cidade do Recife, com base em critérios de qualificação intelectual e técnica e prestação de serviços à cultura pernambucana.

§ 1º __ Em caso de empate na seleção dos poemas, o resultado será decidido pela Comissão Julgadora.

§ 2º - A decisão da Comissão Julgadora é soberana, não cabendo recurso.

§ 3º - A escolha dos poemas será regida por princípios fundamentais da teoria literária, a saber: originalidade e literalidade.

§ 4º - Os nomes dos componentes da Comissão Julgadora só serão divulgados após o resultado.

Das Disposições Finais

Art. 8º - Os casos omissos serão decididos, em comum acordo, pela Comissão Julgadora e pelo diretor-presidente da Fundação de Cultura Cidade do Recife.

Art. 9º - Ao se inscreverem, todos os candidatos aceitarão, automaticamente, as cláusulas e condições estabelecidas no presente regulamento.

Recife, 05 de outubro de 2009

Luciana Maria Felix Queiroz
Diretora-Presidente

terça-feira, 3 de novembro de 2009

ESCOLA MUNICIPAL NOVO PINA – Projeto Conexão Biblioteca Narciso do Banjo e Pontos de Leitura do Bairro do Pina





"Livro impresso, tradicional é melhor porque pode se ler onde quiser: na cama, na sala, no sofá." Crisleide

"Livro virtual é melhor porque um só computador tem muitos livros, basta tocar no pitoquinho." Wallyson


nas fotos acima algumas vivências do dia 04/11/2009



ESCOLA MUNICIPAL NOVO PINA – Presente!

A Escola Municipal Novo Pina / Biblioteca Narciso do Banjo convida para o fechamento do Projeto Conexão Biblioteca Narciso do Banjo e Pontos de Leitura do Bairro do Pina, a se realizar no dia 03/11/2009, às 14:30h, na quadra externa da escola, conforme convite recebido pela GBFL-Gerência de Biblioteca e Formação de Leitores. Culminância que se estende pelos dias 4, 5 e 09 deste mês, quando a escola vivenciará a 2ª etapa do projeto, que envolveu toda a comunidade escolar e foi realizado nos meses de junho a novembro. Coordenado pela equipe abaixo relacionada:
• Danilo Manoel Farias da Silva (Mediador de Leitura)
• José João da Silva Júnior (Mediador de Leitura)
• Maria das Graças Freitas de Souza Lima (Professora de Biblioteca)
• Maria das Graças Varela dos Santos (Professora de Biblioteca)
• Maria Delzuite Bringel (Professora de Biblioteca)
• Valkíria Guimarães (Professora de Biblioteca)
• Rafael Victor Brasileiro (Informática)

Entre os principais objetivos do projeto destacam-se: desenvolver ações que promovam a integração da Biblioteca Narciso do Banjo com os pontos de leitura da comunidade, promovendo e valorizando a leitura; mapear os pontos de leitura identificados; preparar os/as estudantes para serem produtores de informações através de diferentes mídias (fotografia, jornal, vídeo, rádio Novo Pina e o blog).

O Projeto originou-se de várias fontes: estudo do livro Pina, povo, cultura e memória, do escritor e morador do bairro Oswaldo Pereira da Silva; do projeto Retrato do bairro do Pina, comunidade do Bode apresentando o bairro à comunidade escolar e proposta instigante de Carmen Lúcia Bezerra Bandeira (GBFL) de cruzar as informações, procurar outras e articulá-las, surgindo assim, o Projeto Conexão Biblioteca Narciso do Banjo e Pontos de Leitura do Bairro do Pina.

A primeira etapa constou de planejamentos e adesão de turmas. Pesquisas em fontes escritas diversas, construção de mapas, elaboração de entrevistas e trato dos dados coletados, através de registros, relatórios, tabelas, poesias e fotos foram atividades realizadas. Visitas aos pontos de leitura do bairro do Pina em escolas, ONGs e projetos sociais. Alguns conhecimentos, informações e habilidades foram sendo desenvolvidas, como por exemplo, filmagens, fotografias, estúdio de aula de música, teatro de sombras, contação de histórias, poesias, danças folclóricas e dramatizações.

Na bibiloteca e com a mediação da equipe coordenadora do projeto, o complemento e ampliação das informações, a viabilização da interdisciplinaridade, a utilização de dicionários e demais acervos disponíveis, promovendo o ensino, a pesquisa e a extensão. Contando, também, com as possibilidades oferecidas pela DGTEC, através das imagens, dos acontecimentos e da criatividade.

Cronograma das visitas da Biblioteca Narciso do Banjo aos pontos de leitura do bairro do Pina e os temas de pesquisa
(Local - Turma - Data/turno - Tema trabalhado)
Livroteca Brincantes - Profª Adriana - 26/08/2009 - manhã - Como começou a Livroteca?
E. M. Oswaldo Lima Filho - Profª Lourdes Lima - 01/09/2009 - manhã - O livro do futuro: impresso ou virtual?
ISMEP - Rofª Dayse - 09/09/2009 - manhã - Qual o significado á palavra ISMEP?
PROCRIU - Profª Risoleide - 10/09/2009 - manhã - Como funciona o Projeto Criança Urgente
Biblioteca Brincantes - Profª Adriana - 11/09/2009 - tarde - Leitura com Liberdade
Escola Estadual N. Sra. da Conceição - Profª Dayse - 15/09/2009 - manhã - O que é municipalização do ensino público?
Escola Municipal João Cabral de Melo Neto - Profª Gilvanete - 16/09/2009 - tarde - A violência no cotidiano das escolas
PROCRIU - Profª Valkíria e Nívia - 17/09/2009 - manhã - A nossa biblioteca e a sala de leitura do PROCRIU

As considerações finais do referido projeto, textualmente retiradas do relatório entregue à GBFL:
“Inicialmente, a intenção do projeto Conexão Biblioteca Narciso do Banjo e Pontos de Leitura do bairro do Pina foi apresentar a construção histórica do bairro, especificamente da comunidade do Bode, onde se localiza a nossa escola, se aproximar de como se desenvolveu todo este processo até chegar ao que é hoje, raciocinando historicamente, tendo uma visão global.
O investimento no desenvolvimento do aluno neste contexto, a aquisição da leitura como eixo de superação e integração, e o que se produz no bairro a nível cultural e social ajuda na sua transformação e integra simultaneamente a biblioteca que incrementa as informações necessárias aos confrontos de idéias opostas. Conscientes de que todos os projetos visitados são impulsos progressistas a nível educacional, ou seja, as reflexões críticas revelam que os conhecimentos pedagógicos são válidos pelos produzidos por agentes sociais do bairro.
Esta soma de esforços respondeu de maneira competente e inovadora, correspondendo às perspectivas de todos, que se envolveram em sua elaboração. A biblioteca trabalhou apoiada no tripé: ensino, pesquisa e extensão, para se desenvolver o conhecimento mais amplo possível, começando pelo bairro do Pina até a cidade do Recife, fazendo acontecer o tema inicial do ano letivo: “a partir do bairro em que moro, me educo sobre a cidade em que vivo. Recife cidade educadora”.


(Posteriormente, incluiremos fotos e comentários acompanhando esse Projeto)

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Escola Municipal Almirante Soares Dutra – Semana Literária


Escola Municipal Almirante Soares Dutra – presente!



A Escola Municipal Almirante Soares Dutra enviou à GBFL, por e-mail, convite e programação da sua Semana Literária vivenciada de 20 a 23/10/2009, nos turnos da manhã e da tarde, por sua comunidade escolar, conforme se lê a seguir.

Dia 20/10: Abertura

 Apresentação de peça teatral de Luís Fernando Veríssimo (professores e alunos);
 Exibição de vídeo produzido na escola sobre Literatura;
 Leitura de cordel produzido para o evento.

Dia 21/10:
 Contação de estória e rodas de leitura (professores e alunos).

Dia 22/10:
 Circuito de leitura (atividades de leitura em diversos ambientes da escola);

Dia 23/10:
 Exposições dos trabalhos produzidos pelos alunos;
 Lançamento do livro – Dona Iaiá Contou, mas eu também contei;
 Lançamento do Jornal Escolar – A Palavra do Almirante;
 Dramatização dos poemas – O Bicho de Manuel Bandeira e Fragmentos de Água Viva de Clarice Lispector;
 Sorteio de livros de Literatura Infantil.











Por e-mail, Maria do Rosário, a professora de biblioteca da escola, relata a satisfação em vivenciar essa Semana Literária:

"CONSEGUIMOS REALIZAR AS DEMAIS ATIVIDADES CONFORME O PLANEJADO. FICAMOS MUITO FELIZES, PRINCIPALMENTE, NA QUINTA-FEIRA QUE FOI O CIRCUITO DE LEITURA (UMA VERDADEIRA MARATONA). NA SEXTA, AS CRIANÇAS APRESENTARAM SUAS PRODUÇÕES QUE FORAM TRABALHADAS NAS SALAS DE AULA E NA BIBLIOTECA".











A GBFL se fez representar no encontro com o/a escritor/a com a participação de Thelma Regina no turno da manhã e Marcos D’Morais no turno da tarde.





Parabéns à Escola Municipal Almirante Soares Dutra pela realização da Semana Literária 2009!



Escola Municipal Almirante Soares Dutra
Rua Camutanga, 180, Cabanga/Recife-PE.
CEP 50090-380
Fone:32322200