quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

REFLEXÕES NATALINAS


REFLEXÕES NATALINAS
Thelma Regina Siqueira Linhares

Apressadamente
mídia e comércio desfilam novidades natalinas
de encher os olhos dos consumidores ávidos
e os cofres da cadeia produtiva.
Quem dera
houvesse a mesma disposição
para vivenciar mensagens cristãs
e práticas de humanidades e cidadania
não só no período do Natal
mas em todos os dias de cada ano.

http://www.poesias.omelhordaweb.com.br/pagina_autor.php?cdEscritor=804

Participe do site. Compartilhe seus textos, suas mensagens.

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Movimento por um Brasil Literário - Mensagem de Bartolomeu Campos de Queirós


Bartolomeu:
Foi com alegria que recebi sua mensagem! Achei importante socializá-la nos blogs
http://lereescreveremrede.blogspot.com e http://construindopasargada.blogspot.com
para que outros e outras tenham a oportunidade de conhecer, aderir, divulgar o Movimento por um Brasil Literário.
Sim, comungo com você, a convicção de que "O Brasil Literário pode, em princípio, parecer uma utopia mas por que não buscar realizá-la?" Sim, acredito, na realização já iniciada!
Muita paz! Thelma Regina



Belo Horizonte, 16 de dezembro de 2009

Thelma,

Hoje, me vi pensando como seria viver em um país de leitores literários. Pode ser apenas um sonho, mas estaríamos em um lugar em que a tolerância seria melhor exercida. Praticar a tolerância é abrigar, com respeito, as divergências, atitude só viável quando estamos em liberdade. Desconfio que, com tolerância, conviver com as diferenças torna-se em encantamento. A escrita literária se configura quando o escritor rompe com o cotidiano da linguagem e deixa vir à tona toda sua diferença – e sem preconceitos. São antigas as questões que nos afligem: é o medo da morte, do abandono, da perda, do desencontro, da solidão, desejo de amar e ser amado. E, nas pausas estabelecidas entre essas nossas faltas, carregamos grande vocação para a felicidade. O texto literário não nasce desacompanhado destes incômodos que suportamos vida afora. Mas temos o desejo de tratá-los com a elegância que a dignidade da consciência nos confere.

A leitura literária, a mim me parece, promove em nós um desejo delicado de ver democratizada a razão. Passamos a escutar e compreender que o singular de cada um – homens e mulheres – é que determina sua forma de relação. Todo sujeito guarda bem dentro de si um outro mundo possível. Pela leitura literária esse anseio ganha corpo. É com esse universo secreto que a palavra literária quer travar a sua conversa. O texto literário nos chega sempre vestido de novas vestes para inaugurar este diálogo, e, ainda que sobre truncadas escolhas, também com muitas aberturas para diversas reflexões. E tudo a literatura realiza, de maneira intransferível, e segundo a experiência pessoal de cada leitor. Isto se faz claro quando diante de um texto nos confidenciamos: "ele falou antes de mim", ou "ele adivinhou o que eu queria dizer".

Thelma, o texto literário não ignora a metáfora. Reconhece sua força e possibilidade de acolher as diferenças. As metáforas tanto velam o que o autor tem a dizer como revelam os leitores diante de si mesmo. Duas faces tem, pois, a palavra literária e são elas que permitem ao leitor uma escolha. No texto literário autor e leitor se somam e uma terceira obra, que jamais será editada, se manifesta. A literatura, por dar a voz ao leitor, concorre para a sua autonomia. Outorga-lhe o direito de escolher o seu próprio destino. Por ser assim, Thelma, a leitura literária cria uma relação de delicadeza entre homens e mulheres.

Uma sociedade delicada luta pela igualdade dos direitos, repudia as injustiças, despreza os privilégios, rejeita a corrupção, confirma a liberdade como um direito que nascemos com ele. Para tanto, a literatura propõe novos discernimentos, opções mais críticas, alternativas criativas e confia no nosso poder de reinvenção. Pela leitura conferimos que a criatividade é inerente a todos nós. Pela leitura literária nos descobrimos capazes também de sonhar com outras realidades. Daí, compreender, com lucidez, que a metáfora, tão recorrente nos textos literários, é também uma figura política.

Quando pensamos, Thelma, em um Brasil Literário é por reconhecer o poder da literatura e sua função sensibilizadora e alteradora. Mas é preciso tomar cuidados. Numa sociedade consumista e sedutora, muitos são leitores para consumo externo. Lêem para garantir o poder, fazem da leitura um objeto de sedução. É preciso pensar o Brasil Literário com aquele leitor capaz de abrir-se para que a palavra literária se torne encarnada e que passe primeiro pelo consumo interno para, só depois, tornar-se ação.

Thelma, o Brasil Literário pode, em princípio, parecer uma utopia, mas por que não buscar realizá-la?

Com meu abraço, sempre, Bartolomeu

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Lançamento do Livro do PROGRAMA MANUEL BANDEIRA DE FORMAÇÃO DE LEITORES

Aconteceu no Sítio da Trindade, dia 12/12/2009, durante o II Festival da Escola Aberta, que reuniu estudantes de todas as escolas municipais que vivenciam o referido programa.

No espaço Casa de Reboco, a GBFL-Gerência de Biblioteca e Formação de Leitores, realizou o lançamento festivo do livro, que faz parte da coleção Cadernos de Educação, volume 4, que registra a criação e trajetória do Programa Manuel Bandeira de Formação de Leitores.


Trecho do prefácio de Edmir Perrotti foi lido por Zé Ramos, que assinou, ainda, a adaptação da leitura dramática de fragmentos do texto de Michele Petit "Biblioteca: o jardim interior preservado", por jovens da GAC-Gerência de Animação Cultural.

Em seguida, foi realizada socialização do Projeto Conexão Biblioteca Narciso do Banjo e Pontos de Leitura do Bairro do Pina, pela Escola Municipal Novo Pina.



Compartilhando momento tão importante, um público convidado pela GBFL e pela SEEL-Secretaria de Educação, Esporte e Lazer, se fez presente.

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

CONVITE - Lançamento do Caderno do Programa Manuel Bandeira de Formação de Leitores


Repassando conteudo de e-mail para Professores/as de Biblioteca e Mediadores/as de Leitura.

Olá Boa tarde,

Estamos enviando convite para o lançamento do Caderno da Educação Municipal Vol. 4 do
Programa Manuel Bandeira de Formação de Leitores, que acontecerá conforme dados abaixo:

Local: Sítio da Trindade
Hora: 10:00 hs
Data: 12/12/2009.

PS: Informamos ainda que o lançamento do livro faz parte da programção do II Festival de Cultura
da Escola Aberta que acontece conforme convite anexo.

Contamos com a presença de todos.
Atenciosamente,
Equipe GBFL

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

BLOG LITERÁRIO - Criação e Alimentação


A Oficina de Blog Literário - criação e alimentação - foi proposta pela GBFL à DGTEC para o encontro de formação continuada do grupo de Mediadores/as de Leitura, em 07/12/2009, a se realizar na Escola Municipal Cristiano Donato, RPA 1, sito à rua da Imperatriz Tereza Cristina, 182, Boa Vista. (Fone 32325905)
Buscando parceria, foi usado e-mail, logo respondido por Cleoneide Brito, que indicou Rinaldo Neres para coordenar a parceria buscada. Ele sugeriu a participação das professoras Suely e Tereza, que realizam trabalho de multiplicação e acompanhamento junto às escolas da Rede Municipal do Recife. E duas reuniões foram agendadas para a formatação do encontro: uma na GBFL (com a participação de Rinaldo, Suely e Tereza (DGTEC), Ewerson, Márcia, Marcos e Thelma (GBFL) e uma na sede da DGTEC (com a participação de Ewerson, Márcia, Marcos, Suely e Thelma). Foi criado o nome do blog http://construindopasargada.blogspot.com sugestão de Marcos D'Morais, pois os nomes propostos pelos mediadores/as de leitura no encontro anterior (30/11/2009) não estavam dispiníveis no blogger. Esse nome foi considerado muito representativo porque remete a um dos poemas mais conhecidos do poeta (Vou-me embora pra Pasárgada), reafirma o Programa Manuel Bandeira de Formação de Leitores, da GBFL-Gerência de Biblioteca e Formação de Leitores e implica numa ação contínua, de aprendizagens, como o é a própria vida.
E durante o dia de hoje, nos turnos da manhã e tarde, a Oficina de Bolg Literário está sendo vivenciada pelos/as Mediadores/as de Leitura da GBFL.

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Escola Municipal Sítio do Berardo - Presente


A Escola Municipal Sítio do Berardo, vivenciou no dia 26/11/2009 a sua Feira de Conhecimentos, culminando atividades pedagógicas desenvolvidas a partir do tema do ano letivo - Recife: cidade educadora. Estudantes do turno da manhã, felizes por apresentarem suas aprendizagens, receberam mães, pais e uma turma da Creche Vinde a Mim.


Sem identificação de turmas, registro as apresentações, a seguir:
* Museu da Abolição. Exposição "gente de Angola" e apresentação de capoeira pelo pequeno Giseldo.
* Mercado da Madalena. Maquete e apresentação da música "Mercado da Madalena", paródia da "Feira de Caruaru" por um coral da turma.
* Horto de Dois Irmãos. Livrinhos de imagens e um painel de fotos de animais.
* Exposição de Animais. Desfile com crianças caracterizadas de animais ou exibindo bichinhos de pelúcia.
* Biblioteca Popular de Afogados. Painel com desenhos da biblioteca e o que é oferecido ao usuário. Mapas de acesso da Escola até lá. Informações diversas, individual e coletiva.
Além de exposição de fotografias com o título "do monóculo ao dvd".










Na sala de aula, a turma do Ciclo 1 - Ano 1 B, da professora Solange Brandão, socializou para visitantes as aprendizagens a partir da Biblioteca Popular de Afogados. Felizes, disseram dois poemas produzidos coletivamente por Allan, Ana Júlia, Anna Catharina, Daniel, Diego, Emilly, Ester, Ingrid, José Benedito, Levi, Mirella, Mohab, Sabryna, Sthefany, Tainan e Thaynan

O tamanho das coisas

O amor tem tamanho do céu
A saudade, do jardim
A paixão, do coração.
A alegria tem tamanho do circo
Tristeza, de livro rasgado
Passeio de bicicleta tem tamanho de avenida
Bronca de mãe, de chateação
Violência tem tamanho de covardia.



A cara das coisas

Limão tem cara azeda
Brigadeiro tem cara doce
Cebola tem cara de choro
Livro tem cara de biblioteca
Feira tem cara de formigueiro
Queijo tem cara furada
Todas as coisas tem cara.




Escola Municipal Sítio do Berardo - RPA
Rua Profº Lins e Silva, 66 - Prado
Recife / PE
fone: 32327520